domingo, 6 de março de 2016

ELETRÔNICA PARA TODOS, a revista que me despertou para a eletrônica.



O ano era 1974, mais especificamente, 01 de fevereiro de 1974, foi quando comprei a primeira revista de eletrônica. A data ficou marcada em minha memória, pois neste dia houve o incêndio no edifício Joelma em São Paulo.

Desde muito pequeno, sempre tive uma tendência para assuntos científicos, mas sem alguma área específica. Neste dia, em uma viagem de férias de Santos-SP para São Paulo - Capital, na espera pelo ônibus, me deparei com esta revista numa banca de jornal. Não tinha todo o dinheiro para comprá-la e tive que convencer minha irmã a me emprestar toda a sua mesada para completar o valor da revista.

Ficamos hospedados na casa de minhas primas, em São Paulo, e muitas veze s enquanto elas brincavam, eu lia e relia os artigos e claro sem entender quase nada. Foi quando eu comecei a associar os desenhos de componentes nos esquemas com os desenhos de componentes nas placas de circuito impresso, simplesmente contando a quantidade de um determinado símbolo no esquema e o equivalente na placa e desta forma, com esta e outras revistas, comecei a entender os esquemas, o funcionamento e como autodidata, aprender eletrônica.

Nesta época eu tinha 13 anos de idade e a partir daí o dinheiro de minhas mesadas eram convertidos em revistas e poucos componentes para fazer algumas montagens, algumas com sucesso. A primeira montagem que realmente funcionou foi uma luz rítmica.

Em 1979, já trabalhando na revista Nova Eletrônica, uma vez me perguntaram o que era necessário para ser um bom Técnico Eletrônico. Minha resposta foi que para ser um bom técnico era preciso, além da formação, ler muitas revistas de eletrônica. Hoje a resposta seria “Para ser um bom técnico é preciso ir além da décima página de resposta do Google”.